segunda-feira, 31 de agosto de 2009

"Amiga feia- você precisa ter uma!"

Por Pamella Bottom

Podem me gongar, podem me dar coió, mas aquelas que já desfrutaram as benesses de uma amiga feia vão me apoiar. Quantas vezes você se viu com vontade de ir ao cinema mas todas as suas amigas estavam ocupadas caçando bofe no parque?

Quantas vezes você precisou parar em fila dupla mas não tinha ninguém pra ficar no carro? E quando você leva o enésimo fora daquele seu namorado-canalha-de-que-ninguém-agüenta-mais-ouvir-você-falar? Quem será seu ombro amigo, disposto a te escutar choramingando as 3 da manhã? Só ela, a amiga feia!

Amiga feia é aquela não necessariamente desprovida de encantos naturais, mas ela é apagadinha, pode ser até bonitinha, sabe?, mas falta alguma coisa nela. É aquela que você nunca lembra o nome, mas que está sempre sorrindo, esperando um cumprimento seu!

É um erro desprezar alguém que pode ser muito útil na sua vida. Saiba que ela está sempre disposta a enfrentar a fila para comprar bebida enquanto você continua dando pinta com as bonitas. Ela pode te fazer companhia enquanto as lindas não chegam e você são paga o mico de estar sozinha na ferveção.

Ela não vai se meter no seu tricô-forte com as belíssimas... Mas, atenção, é sempre de bom-tom de vez em quando fingir que ela está fazendo parte da rodinha e terminar uma frase dizendo: "não é mesmo, amiga?" (já que você não se lembra do nome dela, chame sempre de amiga), e ela vai abrir um sorrisão, mas antes que ela tenha tempo de articular alguma resposta, retome a conversa com as bonitas.

Quando der uma festinha, conte com ela: ela vai chegar cedo, e enquanto você se produz, ela vai resolver aqueles probleminhas de última hora e entreter as outras chatas que chegam cedo demais, e no final da festa ela vai fazer questão de ficar para te ajudar a limpar a bagunça... Então? Convencida? Pois saia em campo agora e tenha você também a sua amiga feia, acessório obrigatório da bicha moderna!

Agora, se você estiver querendo se enturmar com um novo grupo de bonitas, ou quiser impressionar alguém, apele para uma categoria especial de amiga-feia, a daquelas que vieram de lugares insólitos.

Vocês não têm idéia do que acontece quando você chega numa festa em grande estilo, dizendo: "gentemmm, já apresentei para vocês minha amiga do Cabo Verde?" Meninas.. é um arraso!!! Você vai passar uma imagem de modernidade, de diversidade, de aceitação de diferenças e todas vão querer se aproximar de você!! Você vai ser o sucesso da festa!!
*Só pra rir um pouco ok? Beijos!!

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Pegação em banheiros públicos (By Tchynna)


*Gente, todo mundo que me conhece sabe o quanto desaprovo essa prática. Tenho um amigo que não admite ir a uma boate gay por medo de se "expor" em um ambiente desses, mas se expõe muito mais (ao meu ver) em banheiros públicos de rodoviárias e shoppings, correndo o risco de receber uma descompostura, além dessa prática ser extremamente insalubre (Gonorréia vai render um post aqui em breve), então, como amigo é igual a peido, e cada um atura o seu, respeito a opção desse amigo e de outras pessoas, pois também tenhos meus vícios que aos olhos de outros podem parecer coisas horrendas (sexo grupal, bebida em excesso, tranquilizantes misturados com bebidas, etc.), e não admito que ninguém me censure, só tenho que respeitar a opinião alheia.

Mas ainda ainda defendo a máxima de que a exposição dessas atitudes em lugares impróprios só retrocedem o processo de amadurecimento social e o fim da homofobia.

Sendo assim, pesquisei um artigo sobre pegação em banheiros pra galera que gosta praticar seus "hábitos" sem dar muita bandeira nem se arriscar muito. Beijos, Ju Cabala.

Dicas Certeiras da Tchynna no Terminal Rodoviário:

- Seja discreto. Entre no banheiro e faça o levantamento de bofes os mais rápido possível. Se não tiver na interessante, finja um xixizinho e corra pro outro banheiro, mas faça o caminho mais longo porque ninguém precisa notar seu movimento.

- Caso esteja num momento de entre safra, saia e espera na fila de ônibus mais proxíma. Ficar lá dentro, além de insalubre e dar muita pinta. Na fila, ninguém vai reparar e ainda a pessoa que estiver atrás de você vai ficar feliz quando você abandonar o lugar para ir atrás do cafuçu escandalo que uma hora vai aparecer!

- Bill, ninguém mais acredita no truque do lavar a mão, escovar os dentes e tirar espinhas. Se ficar muito tempo, o povo já sabe: bicha pegadeira na área. Fora que quase nunca há espelho nesses lugares. Bicha, você não está no shopping!

- Tudo tem que ser muuuuuito rápido. Indentificou o bofe, rolou o olhar, tem que agir logo. Muitos só fazem a pegação no intervalo entre um bus e outro, e no horário de pico é coisa de 20 minutos, no máximo. Nada de romance, “me apaixonei no seu olhar” ou coisa do tipo. É cair de boca – ou botar pra rezar!
- Silêncio é sempre essencial. Nada de ficar miando ou se achando o leão fodedor lá dentro. Fuder em banheiro público ainda não é bem visto por essa gente. E os bofes no armário também fogem de bichas tagarelas e escandalosas.

- O olhar é tudo. Aprenda a decifrar olhares de “venha cá”, “entre ali”, “espere um pouquinho”, “me chupa”, “me come”, “deixa eu meter”, “vou gozar”, “na minha boca nãoooo”, “te odeioo – cospe” e “eu vou sair primeiro”.

- Pegar cobrador e motorista é fetiche, eu sei, mas a probabilidade de pegar um lá é não é muito maior que nos outros pontos. O motivo é simples: a maioria está ali em horário de trabalho e logo, vão estar fazendo uma nova viagem. Se pegar um nesse intervalinho terá que ser mais rápido ainda. Torça para pegar em fim de escala!
- Beesha exxxperta já identifica as presas ainda no baculejo do ônibus. É a melhor maneira de pegar. Rola aquele flerte no 500, 800, 600 e alguma coisa e na hora de descer é ir para o banheiro. É só esperar o momento e se jogar no reservado.

- O mictório é o melhor lugar para ver se rola. Ponha o pau pra fora e de uma olhadinha beeeeem de ladinho no pau do lado. Se ele ficar muito tempo lá, desconfie, pois geralmente quando chega outra pessoa quem não curte se apressa em sair. Agora, se a neca tiver dura… faça ela amolecer já!
- Reconhecer bem o território é a maior arma que uma bee pode ter. Saber qual torneira funciona, qual reservado tem tranca e qual parede reflete quem entra e quem sai, é fundamental! A concorrência é grande e as que já sabem os truques arrasam!

- Leve tudo que a senhora ache que possa precisar. Sabonete, camisinhasssss, KY, álcool, papel higiênico, toalhinha, base, gloss e halls preta. Nada, mais nada disso você encontrará lá. Se a descarga estiver funcionando fique feliz.

- Nunca vá de chinelo. O chão dos banheiros dos terminais estão sempre molhados e empoçados. Sempre tem um vazamento de água. Reflexo do descaso do poder público para esses espaços de socialização! Calçado fechado é a melhor forma de evitar uma micose ou uma água de chuca no seu pé!

- Tem que ter coragem. Banheiro fede, a senhora limpa, joga sapolho, candida e cloro e não adianta. Agora imagina lá, onde não dá para limpar direito? Então, queridaaaa, respire fundo antes e segure o ar lá dentro. O melhor é ir de nariz entupido!

- A senhora já percebeu que não está rolando naquele dia, então não banque a masoquista. Vá para casa e deixe para outro oportunidade. Mas, se tiver tempo, pega o primeiro ônibus e se joga em outro terminal. Afinal, você já pagou R$ 1 mesmo.
*No capítulo do Código Penal que trata dos crimes de ultraje público ao pudor, o artigo 233 descreve que praticar ato obsceno em lugar público, ou aberto ou exposto ao público tem como pena prevista a detenção de três meses a um ano, ou multa.

É crime fazer pegação no banheiro?

(por Leandro Pereira e Heitor Barbi - Advogados)

A chamada "pegação" em banheiro público é uma prática que acontecia com mais frequência antigamente, quando os espaços destinados aos homossexuais eram limitados e inexistentes em muitas cidades.

Entretanto, em alguns shoppings, estacionamentos e praças dos grandes centros, isso ainda vem ocorrendo, com certa frequência, por diversos motivos: alguns homossexuais têm receio de se expor nos "guetos", alguns gostam da sensação de perigo e outros somente não percebem que estão incorrendo em um crime descrito no Código Penal.

No capítulo que trata dos crimes de ultraje público ao pudor, o artigo 233 descreve que praticar ato obsceno em lugar público, ou aberto ou exposto ao público tem como pena prevista a detenção de três meses a um ano, ou multa.


A conduta proibida é praticar ato obsceno, quer dizer, o ato que ofenda o pudor público em geral, levando-se em conta o meio ou circunstância que é praticado. Não importa se ato obsceno é realmente praticado ou simulado. Desde que tenha conotação sexual, enquadra-se como crime.

Nesse caso, o banheiro do shopping é um lugar público pois é acessível a um número indefinido de pessoas. Muitas vezes os homossexuais nem se preocupam em entrar dentro dos boxes dos banheiros, expondo-se e se masturbando nos mictórios visíveis a todos.

Hoje em dia, existem lugares apropriados para aventuras sexuais dessa natureza, sem que haja a necessidade de exposição àqueles que de alguma forma possam se sentir ofendidos ou constrangidos. Por exemplo, num belo dia de domingo, um pai leva seu filho de seis anos no banheiro de um shopping e se depara com um grupo de homens se masturbando. Esta situação, com certeza, é bastante constrangedora e inapropriada.

Já foi muito discutida a possibilidade da troca de carícias e afetos de um casal homossexual em um espaço público da mesma forma de um casal heterossexual. Contudo, sabemos que existe uma diferença entre um ato obsceno e a demonstração pública do amor e carinho entre pessoas do mesmo sexo.

Na sociedade que vivemos, o preconceito e a discriminação vêm sendo combatidos pelas as organizações homossexuais . Porém, a exposição dessas atitudes obscenas em lugares impróprios só retrocedem o processo de amadurecimento social e o fim da homofobia.

Se macho gosta de macho, bicha gosta de macho... quem gosta de bicha?

(Por Antonio Alberto Pereira de Sousa)

No começo também achei engraçado, cheguei a concordar, mas então parei pra pensar "Isso é puro preconceito!". Em uma comunidade do ORKUT alguém "postou" a frase apresentada na primeira linha. Isso nos remete a alguns fatos:

1° Eu sou preconceituoso porque ri e concordei.

2° Tu és preconceituoso porque ristes e/ou concordastes.

3° Ele é preconceituoso porque escreveu.

Não, não estou conjugando verbos! Só quero escancarar um fato que ocorre dentro da própria sociedade gay: preconceito. Não chega a ser engraçado? Até um pouco irônico, eu diria. Não acabamos de passar por diversas "Paradas" pelo mundo a fora, pedindo o fim do preconceito, quando nós mesmo somos preconceituosos? Não quero nem pensar o que um negro gay passa! Ou melhor, é preciso que penssemos melhor no assunto! Muitos dirão "Eu não tenho preconceito... tenho até amigo afeminado!" (o que me remete à origem desta palavra, porque, afinal o prefixo a- não significa negação?). Isso não seria apenas preconceito disfarçado?

Tá! Você não é obrigado a ficar com alguém que não lhe agrada, mas mantenha seu preconceito, se não puder negá-lo, fora do alcance das crianças (e do meu, o que é retórico), pois você pode envenená-las.Vamos pensar um pouco: HOMOFOBIA. Em termos atuais, é o "medo" de homossexuais. Então isso nos torna, nós que rimos, "BICHAFÓBICOS"?

Acho que sim... mas espera aí! Na Parada me pareceu tão legal "soltar a franga"... me senti feliz e livre... então isso nos torna "FELICIFÓBICOS" ou "LIBERFÓBICOS"? Então, mesmo "fora do armário" eu sou enrustido? Acho que (como minha mãe aconselhou quando me viu beijando um homem no 00% bar) eu preciso de um psicólogo. Sou gay homofóbico e enrustido, credo!

Recapitulando, somos preconceituosos que lutam contra o preconceito... hummm... isso nos torna um bando de bichas hipócritas, ops, desculpe, um bando de machos hipócritas que sentem atração e afeição por outros machos, porém, sem pisar fora da linha...Entendi... Hey! Mas isso te impede de reclamar quando, entre outras coisas, vê em programaz da Rede Globo de Televisão "Pitbicha", ou ouve frases do tipo "Onde foi que eu errei?" ou "Olha a faca!". Pois, com nosso preconceito, damos audiência para tais imbecilidades.

Então vamos ver: dançar Madonna, Cher, YMCA, I will survive, etc, na boate pode, mas em cassa só Pop Rock (argh!) e Mozart? Ou tem algo errado comigo ou com a sociedade, porque, por favor, não fale mal da Britney ou da Daniela Mercury na minha frente!

Outra coisa, "tinha de ser viado!"?! Como assim "tinha de ser viado!"? Eu sou gay, então certo erros já são esperados? É como dizer "Só podia ser mulher!"? Por favor, somos "boneheads" e não sabemos... Pensando bem, se aqueles "amigos" de Stonewall nos vissem hoje, acho que, envergonhados, eles diriam em uníssono: "Onde foi que eu errei?".

Bem pessoal desculpe a ausência, correria de faculdade!!

Beijos!!

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Os enrustidos

(Por Allan Johan)

Eles são gays, não tocam muito no assunto e inventam mil mentiras. Sentem um certo medo ou vergonha de serem homossexuais. Alguns são bissexuais mas gostam é de homem, outros, dizem ser uma fase. No meio gay, comenta-se que eles estão “se descobrindo”. Muitos acabam se casando com mulheres e continuam com vida dupla. Bem-vindo ao confuso mundo dos enrustidos.


Eles não namoram com homens, apenas fazem sexo. Outros evitam beijos ou posições mais “passivas”. Alguns se soltam mais na cama. Chamam o parceiro de “brother” ou outro apelido macho. Chegam a ter crises de existência, ficam meses sem ficar com outros caras, ou se tornam agressivos no sexo e nas relações com homossexuais. A maioria prefere parceiros na mesma situação, ou mesmo casados: eles imploram por discrição.


O motivo pode ser a pressão que a sociedade exerce e esses indivíduos não querem virar o que aprenderam a condenar. Mas gostam do fruto. Outros têm a necessidade de manterem-se longe do rótulo gay por questões familiares ou mesmo por causa do trabalho. Mas fazem sexo com pessoas do mesmo sexo, abdicam ao direito de terem uma relação homoafetiva ou pensar em um dia ficar com uma pessoa que gostam. Eles raramente dizem eu te amo. Mas gozam pra valer.


Para tanto, alguns chegam a evitar beijar, fazer sexo oral, usar nomes e apelidos carinhosos, ter contato contínuo ou mesmo fazer posições passivas. Tudo para tentar preservar o macho idealizado como heterossexual. Alguns chamam o parceiro por nomes femininos, evitam tocar na genitália igual a sua, têm nojo do sêmen alheio. Nem Freud explica, mas o tempo revela.


Muitos enrustidos passam a vida inteira fugindo deste desejo que identificam como maldito mas que aprendem a lidar com ele da melhor forma, individualmente falando, possível. Muitos apelam para casamentos de fachada, outros para sexo pago ou casual. Para outros, a grande maioria, representa uma fase de auto-conhecimento, que termina em auto-aceitação, quando se descobrem realmente hétero ou homo.


Infelizmente, muitos dos enrustidos, em razão da hipocrisia da nossa sociedade, passam a mentir, enganando seus cônjuges e proles, ou, quando solteiros, inventando transas com mulheres inexistentes, se auto-afirmando heterossexuais ou bissexuais, como forma de fugir da alcunha que ser gay significa.


No senso comum, a imagem do homossexual é ser afeminado e acaba no travestismo. Como essas pessoas não imaginam ser possível ser homossexual e feliz, ainda mais para aqueles que convivem com o preconceito em suas casas e ambientes que freqüentam, é compreensível este medo de ser e se sentir gay.


Essas pessoas acabam gastando força vital e produtividade inventando histórias e desculpas para o círculo social heterossexual que freqüentam e deixam de viver uma experiência maravilhosa que é a liberdade de ser você mesmo. Alguns levam numa boa mas a maioria vive em estresse, com medo de ser descoberto. Acostumados a vestir máscaras que a sociedade obriga todos a usarem, esta acaba sendo apenas mais uma.

Felizmente, o ser humano tem a chance de reavaliar, todos os dias, as decisões que tomou em sua vida. E todos os gays assumidos que estão por aí foram enrustidos, lutaram contra os fantasmas prós e contra da saída do armário. Como se pode ver, não é tão difícil assim, é um processo que é importante e crucial. É preciso paciência e, mais do que tudo, coragem. É preciso ser muito macho.

Bem, pessoal é isso. Particularmente eu tenho uma pergunta que ninguém me respondeu até hoje: Se o cara é bissexual (teoricamente gosta de transar com mulher e homem) por que será que invariavelmente ele só trai sua parceira, noiva, namorada, esposa, etc. com outros homens, mas nunca com mulheres? Fica a pergunta.

Beijos!!

terça-feira, 25 de agosto de 2009

10 MOTIVOS PARA DEIXAR DE SER HÉTERO/BI/ENRUSTIDO:

(TROQUE SUA NAMORADA POR UM VIADO)- Por Pamella Bottom

1- viado não menstrua; pode dar todo dia e está sempre pronto para o sexo!! No máximo, vai precisar de 15 minutos para uma chuca rápida e tá pronto para atender!


2- viado não te deixa horas esperando enquanto troca de roupa; o bom viado sempre sabe o modelito certo para cada ocasião e leva pouquíssimo tempo pra se vestir (e menos ainda para se despir...)


3- para levar o viado para a cama você não vai precisar gastar lábia, pagar jantar, dar presentes e nem dizer "eu te amo" - viado adora trepar e não tem frescura do tipo "será que ele vai achar que eu sou fácil se eu for pra cama no primeiro encontro?"


4- viado adora pagar boquete - não tem nojo do teu pau, não aperta suas bolas e sabe exatamente onde e como pegar para te dar maior prazer e não exige (às vezes) que você faça o mesmo em troca.


5- viado não tem TPM - você vai ficar livre daquelas explosões de mau humor porque disse "oi, querida" e não "oi, minha querida"!


6- você vai duplicar seu guarda roupa; viado sempre tem bom gosto e vai adorar ver você usando as roupas dele.


7- você nunca mais vai ouvir reclamação por não deixar o vaso sanitário tampado e nem por aqueles pinguinhos em volta do vaso...


8- viado não fica cobrando boas maneiras do seu macho - viado sabe que homem muito educadinho, cheio de "com licença" e "por favor" deve ser boiola! Bom mesmo é um machão que bate a porta da geladeira, bate a porta do carro e se bobear bate até no viado!


9- você não vai precisar fazer todo o serviço pesado de casa - além de cozinhar, lavar e passar, viado também troca lâmpadas e carrega móveis.


10- você nunca vai ter problema com a sogra - mãe de viado adora o genro porque não tem outra mulher na vida do filho pra tomar o lugar dela


Pronto meninas... agora só depende do nosso empenho - nenhum macho resistirá aos nossos apelos!!! Beijos !!! Pamella Bottom.

(Relembrando de novo a Pamella só pra rir um cadinho, pq voltaram as aulas da Faculdade ontem e ando meio sem tempo, beijos a todos!!)

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

3 anos sem Vanessão

Pois é gente, fazem 3 anos que Vanessão bateu asas da BR e voou pro céu. Tem gente que fala que isso não é verdade. Estão falando por aí que Vanessão voltou. Desta vez como Patrícia, mais acabada e fuleira. Tem até vídeo no You Tube. Olha, ninguém mais do que eu gostaria que isso fosse verdade. Vanessão merece desfrutar das glórias da fama, vir para São Paulo e Rio de Janeiro, ser coroada Rainha e desfilar em cima de um caminhão de bombeiros pro povo a saudar - enquanto ela faz um ketty nos bombeiros por Finte Rééaixx.

Mas com certeza essa que estão dizendo que é ela, não é não.
Como é que começou essa história aí?
Tá, eu tava debaixo dum pé de árvre, ele passou por mim e falou o seguintche:
- Quanto você coba o pograma?
- Eu disse: Eu cobro finte reaix.
- Você é homossexual?
- Eu disse: Sim!
- Você tem o @#$%! grande?
- Eu disse: Sim!
- Mostra o !@#$% pra mim.
- Eu mostrei o @#!@# pra ele.
- você go go go go go go go goza na minha boca?
- Eu falei: Sim....
(...)
- Se eu tivxe robado ele...eu teria pegado todo o dhinhero...de nn nn nnnn nnn nnnnnnnn le pra mim.
(...)
o resto...aghenthe resolvhhhe - aghenthe resolvhhhe...

Fatos:

1- O moto táxi pára e encara Vanessão.
2- Vanessão responde a perguntas do Moto, como... se ela era homossexual.
3- Vanessão cobra "finte reaix".
4- Moto-Taxista pergunta: eu te do cuarenta pra você, mas você gogogo...goza na minha boca? Vanessão responde "sim, tchi boan"
5- O Moto-Taxista não quer pagar o que deixa Vanessão louca! Vanessão diz que ele "vai dá sim"!
6- Vanessão tira o sapato e dá na moto dênli!
7- Moto-Taxista chama a polícia e aguarda debaixo do pé de árvre com outros Moto-Taxistas a chegada dos policiais.
8- Ambos são conduzidos à delegacia onde o repórter televisivo cobre este fato que contém danos morais e materiais.

Dados coletados através dos argumentos utilizados por Vanessão para cometer tal barbarie.
- Ela tinha cobrado "finte" pelo programa, mas o moto fez "catchy"
nela, dai o preço já é mais "finte".
- O moto diz que Vanessão cobrou dérreais, mas pagou "finte", então o babado é certo!
- Vanessão havia visto a carteira do Moto-Taxista aberta, pois ela sabia que ele tava cheio de dérreais.
- Vanessão que se preze não ia parar a moto na BR, ninguém faz isso, foi ênli que parou sim!
- O Moto-Taxista não aceitou as condições que Vanessa impôs para o programa deixando-a completamente estressada e nervosa, levando assim ao ato de destruição da moto dênli com o seu prórpio tamanco.
- Vanessão jura que o Moto-Taxista é "maricona" e chupa @#$% de viado na rua. As amigas dela tudo conhece "vááárias vezes" ênli.

Dados coletados através dos argumetos utilizados pelo Moto táxi que são relevantes.
- O moto táxia afirma que Vanessão disse um monte de coisas, mas nada que seja acreditável.
- Ele estava indo pra casa da mãe!
- Vanessão não precisou parar a moto na BR. O Moto-Taxista o fez por livre e espontânea vontade.
- O Moto-Taxista afirma que parou e levandou a sainha da Vanessão para ver o que ela era!
- Deu a entender que é macho e não faz "Pograma com homi não".
- Fez caridade ao se deparar com uma travesti doida, pois ela queria dérreais, mas ele deu vintchy, pra num dar pobrema!

Frases a serem ressaltadas:
*Duvida quanto a masculinidade do MOTO TÁXI.
"Ele é maricona...dá o #& pra viado na rua!!! As minhas amigas conhece vááárias vezes ênli. Váááááárias vezes! "

*Obviedade de um ASSALTO ou GOLPE.
"Se eu tivesse roubado ênli, ela tinha pegado a carteira dênli, e tinha pegado todo o tchinheiro! Pode olhar na carteira dênli, o quanto que ele tem de dérreais na carteira dênli! "

*Tranquilidade e Calma para que os assuntos sejam resolvidos:
"Tchy boam, já arrebentei a moto dênli mesmo...O resto, axentchy resolvem-axentchy resolvem! "

Delícia né gente, pena que não está mais entre nós, mas pra quem quer matar as saudades é só ver aqui no youtube o vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=OjdFsDo3hjY

Beijos a todos!!

Aprendendo um pouco com Danuza

(Extraído do Livro NA SALA COM DANUZA/Sobre Convívio Social e Etiqueta Moderna)
"...Este livro é resultado de como eu vejo certos procedimentos, como me parece que devemos nos comportar diante de certas situações, as tradicionais e as mais insólitas, com presença de espírito e bom senso.
(...)
Longe de mim querer criar polêmica. Mas me sinto no direito de propor outras soluções, sem com isso afirmar que sejam as mais corretas. Com bom senso, insisto, liberdade e às vezes contrariando "o que ficou combinado". Sinta-se livre você também, para com gentileza fazer como sua cabeça e seu coração mandarem. Autoritarismo também em etiqueta? Nem pensar.
(...)
Este livro quer facilitar a vida de uma tribo que trabalha, tem dinheiro mas não muito, deseja saber das coisas mas não tem tempo nem paciência para decorar regras. Gente que divide contas em restaurantes e que, quando vai passar o fim de semana em casa de amigos, combinam "cada um leva o quê".
(...)
Desmistificar. Guardar algumas regras imutáveis do bom convívio social e jogar fora, sem hesitação, um monte de coisas que já não têm razão de ser. Resolver situações que há 2000 anos não existiam. As boas maneiras tornam a vida mais agradável, sim, mas não deixe que as regras rígidas da etiqueta sejam um tormento em sua vida. Tortura, nunca mais. Descomplicar. Mostrar que, mesmo com pouco dinheiro, sem pertencer a família tradicional, tudo se pode aprender. Ser gentil, elegante, viver de maneira charmosa, gostosa, fascinante. (...) pessoas que podem criar um clima alegre, caloroso, simpático, até mesmo sofisticado, usando uma pilha de guardanapos de papel, grandes e coloridos.
(...)
Claro, nem por isso vamos deixar de seguir as regras que aprendemos em criança e que ajudam a tornar mais agradável e possível o convívio entre as pessoas. É importante dizer não a certas convenções, certas formalidades. Mas só as pessoas naturalmente educadas conseguem fazê-lo com propriedade. Em comportamento, prepare-se, há milhões de `dependes' . Não existem duas situações iguais, o assunto é inesgotável. A cada vez que eu, escrevendo este livro, me perguntava como agir, me via começando com um `depende' . Tenha coragem e independência para fazer o que você gosta, as coisas em que você acredita.
(...)
É possível que a boa educação tenha desaparecido dos nossos costumes? Ninguém respeita ninguém, os códigos desapareceram. Tudo se nivela, mas por baixo. Não será esse o momento de pensar em conviver mais educadamente com nosso semelhante? Um sorriso , segurar a porta para o outro passar significam a mesma coisa, aqui ou em qualquer lugar do mundo. Se tratada com gentileza, a pessoa, por um instante que seja, se sente especial, e issoa faz não se sentir assim tão só.
(...)
A verdadeira cortesia é pensar primeiro no outro antes de pensar em si mesmo. Se duas pessoas querem passar por uma porta estreita, vai ser preciso que uma dê lugar à outra. Isso é cortesia. Se estendo a mão com um sorriso, o outro também estende a sua e me retribui o sorriso. As pessoas se imitam. Se eu te trato mal, você também me trata mal. Continuamos a nos imitar. O uso da cortesia é uma maneira de evitar o caos. O mundo está cada vez mais povoado e, quanto mais gente existir, mais necessitamos da boa educação.
(...)
Para ser sincera, não é sempre que faço tudo como o livro diz. Quando acordo com a Receita Federal ao telefone me cobrando um recibo de 1989, o banco dizendo que o cheque ainda não foi compensado e o porteiro avisando que a bateria do carro arriou; aí, a Telefônica me deixa 20 minutos escutando uma musiquinha irritante, o tranqüilizante acabou e só com receita, sinceramente: será que nesse dia vou segurar a porta do elevador para alguém? Não sei. Mas também não devemos levar as coisas tão a sério. Vamos procurar ter boa vontade conosco e com os outros. Compreender que às vezes as pessoas não agem como deveriam, acontece. Ria de você mesmo, quando fizer uma bobagem.
(...)
Este livro pode até passar por superficial. Mas o que procurei, mais que tudo, foi, com algum humor, resgatar a verdadeira delicadeza entre as pessoas. Gentileza não é artigo de luxo, mas sim de primeira necessidade.
***
Pessoal, esses foram trechos retirados da Introdução do Livro NA SALA COM DANUZA, juro, prometo, juro de novo, que postarei as dicas interessantíssimas dela aqui, mas achei ultra necessário começar pela Introdução, pois está na hora de se resgatar o ser humano gentil e cordial que ainda existe em cada um de nós. Beijos!!!

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Deus (ou a Bíblia) condena os Homossexuais?


Na minha humilde opinião, Deus (se é que existe) é uma coisa e a Bíblia é outra coisa.
Desculpe se minha afirmação choca ou assusta, mas acho que algumas coisas temos que considerar:

A Bíblia foi escrita por homens. E a única garantia que se tem da veracidade dela é a fé. E fé é algo que se tem ou não tem. E não é crime não querer acreditar nesse tipo de fé. Assim como não é crime ser homossexual.

Comece a tentar imaginar a Bíblia como um código de condutas sociais e morais escrito por homens, e agora tente imaginar se nossos Legisladores atuais atribuíssem uma natureza divina ao nossos Código Penal, Código Civil, Código Tributário, Constituição Federal, e o nosso povo ainda fosse intelectualmente atrasado como há 4 mil anos?

E levando-se em conta que muitos dessa nossa Legislação atual é uma merda e cheia de falhas absurdas (pra se ter idéia no nosso Código Penal, se um cara adulto abusa sexualmente de uma menina de 5 anos é "estupro", se abusa de um menino com os mesmos 5 anos é "atentado violento ao pudor", pois estupro é só quando há coito entre pênis e vagina), não seria difícil imaginar o caos que seria se algum político se intitulasse "a voz de Deus" e começasse a ditar regras absurdas.

Creio que algumas coisas devem ser explicadas. A bíblia em seu início, tinha um objetivo de controle social e talvez no contexto de um povo semi civilizado que vivia no deserto há 4 mil anos, ela era extremamente necessária. Algumas pessoas mais velhas daquela sociedade, já com alguma sabedoria de vida, tinham que tomar as rédeas desse povo para que esse mesmo povo não sumisse do mapa então acrescentaram regras de boa convivência em um livro e junto colocaram castigos divinos para que as pessoas cumprissem normas sociais.

Se hoje, com todo recurso tecnológico e de medicina, as DSTs e outras doenças transmissíveis sem origem sexual ainda fazem estrago, imagine naquela época? Então, por serem observadores, esses sábios talvez tivessem observado que certas doenças estavam ligadas a certos comportamentos mesmo sem saber o real motivo já que eles não sabiam da existência de micro-organismos.

Em uma situação dessas, um homem e mulher se manterem castos até o casamento e depois não traírem seus companheiros, era uma ótima forma de controle de doenças do mesmo que a ausência de relacionamentos homossexuais também serviria para o mesmo propósito de se preservar o povo de alguma epidemia. Então junto disso colocaram os castigos divinos no trechos religiosos e até mesmo castigos terrenos (apedrejamentos) como orientados por Deus para que as pessoas seguissem as regras.

Pode ter tido sua validade para aquela época mas muitas informações que os sábios daquela época desconheciam, hoje crianças de 10 anos já sabem. Algumas pessoas que seguem a bíblia literalmente, ainda não entenderam isso.

Será que se hoje, um homossexual for íntegro e tiver um relacionamento estável, ele representará risco à sociedade? Nesse caso, deus não condena nada. Quem condena é a sociedade e uns usam a bíliba para justificarem seus preconceitos.

E no Novo Testamento não há absolutamente nenhuma palavra de Jesus contra a Homossexualidade.Há sim, escritos dos apóstolos em: Romanos, capítulo 1; do versículo 18 ao 32./1ª aos Coríntios, capítulo 6; versículos 9 e 10./Apocalipse 21; 8./Apocalipse 22; 15. E sim, colegas, eles eram humanos de carne e osso iguais a eu e você. Não eram Jesus Cristo.

E se Deus condena? Se é que existe, Deus não condena nada, Deus ensina através de suas leis imutáveis e soberanas, e o que ele realmente ensina é que o maior crime que se pode cometer contra alguém é a discriminação, preconceito e o orgulho, então, cada um que cuide de sua vida e olhe pro seu umbigo que acaba ganhando muito mais!

Beijos a todos!!

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Lembrando de Pamella Bottom...

(Pra rir um pouco)
Bem gente, fazem alguns anos que Pamella Bottom escrevia sua coluna num site direcionado ao público gay, e quem tem mais de 25 anos pelo menos se lembra bem..rsrsrs(tá bom, admito que tenho bem mais que isso).
E embora pra alguns a fórmula possa parecer datada e meio passadinha, eu ainda acho muito engraçado, então estou postando aqui um texto dela muito legal:
***
FAÇA ESTE CURSO E SEJA VOCÊ TAMBÉM UMA BICHA AGULHA:AQUELA QUE É FINA, TOMA NO EDI E NÃO PERDE A LINHA!!!

01) Ao agradecer, uma passiva deve dizer "obrigadO" ou "obrigadA"?

Desde criancinhas todas aprendemos que menino diz "obrigado" e menina diz "obrigada", mas no reino viadal, essa regrinha sofre uma pequena mutação.
A variação não é mais em relação ao emissor da fala e sim quanto aquele que recebe (passiva!) a mensagem. Ou seja: se for falar com héteros (não sejam preconceituosas, meninas: falem com os héteros e até peguem nas mãos deles - heterossexualidade não é doença contagiosa!) ou quando estiver falando com seu bofe, diga sempre "obrigadO"; agora, se estiver entre amigas, use e abuse da forma feminina: diga "obrigadA", se trate por "ela" quando falar de si mesmA e "senhora" quando se referir a outra, e sempre comece uma frase por "ai, amiga..." Ex.: Se uma bil te der um presente, responda: "Ai, amiga, obrigada; a senhora nem imagina o quanto ela ficou satisfeita!"

02) "Passei um cheque! E agora?"

Sem dúvida alguma, é das situações mais constrangedoras que uma passiva pode enfrentar. O que fazer quando a chuca falha?
Há duas situações diferentes: - caso o cheque só tenha sido notado no final da transa, quando o bofe tira a neca de dentro da senhora, dê um sorriso tipo isso-acontece-nas-melhores-passivas e diga "foi mal!", e para disfarçar o mal estar (já que o cheiro não tem nada que disfarce), massageie o ego do cara e diga: "esse seu pau enorme foi muito fundo" ou se for pequeno, diga "você meteu tão forte que acabou indo muito fundo dentro de mim"...

- a situação é mais grave quando no meio da trepada o ar fica empesteado com aquele inconfundível cheiro de m****! Neste caso é imprescindível manter o sangue frio: você pode começar a gemer alto, gritar que está perdendo o controle, que está muito gostoso, tudo para fazer o bofe gozar logo e acabar com a tortura, mas sempre sem trocar de posição - qualquer movimento nesta hora pode gerar uma catástrofe de proporções bíblicas (imaginem um Vesúvio furioso em erupção e vocês saberão a que me refiro!!). Se você notar que o bofe está perdendo o entusiasmo, saia pela tangente e diga "hei.. vamos continuar isso no chuveiro?" e sem desacoplar corram para o banheiro!!!

Para prevenir este tipo de coisa, é preciso aprender a conhecer nosso ciclo digestivo. Temos que estabelecer uma conexão direta entre o cérebro e o reto - é preciso aprender a sentir quando estamos "carregadas". No meu caso, meu reto manda uma mensagem ao cérebro: "Houston, we have a problem!" (tradução: "Cuidado, estou cheio de Whitney!") e já sei que não é hora de levar rola!! Isso nos leva de imediato à próxima questão:

03) "Não fiz a chuca. Como dizer isso a ele?"

Outra situação nem um pouco agradável! Você, um bofe escândalo, um pau duro e babando... e um edy interditado!!!! Nessa situação é melhor não ser muito explícita, pois este não é um assunto muito agradável... Portanto, é melhor apelar para um "hoje não", ou um singelo "não estou preparado" para que o bofe saiba que está prestes a entrar em um campo minado!!

Caso ele insista, você ainda pode tentar um acordo e salvar a noite, dizendo "Você me espera uns minutinhos então?" e corre pro banheiro e faz uma chuca rápida. Agora, há sempre aqueles bofes que não querem esperar e nesse caso ele está assumindo o risco... ele sabe o que pode acontecer e aceitou... então... se benza e deixa ele entrar...

Se for só um caso simples de Whitney, não vai ser tão grave assim, afinal só vai sujar um pouco a camisinha. Agora, se for um caso mais grave de m****, tipo Celine ou Mariah, nem pensar!!! Não há acordo!!!

04) Como reagir a um insulto?

Meninas, é bom que não nos esqueçamos que ser passiva não é só ficar de quatro e levar rola no rabo não.... Isso aí até uma rachada é capaz de fazer!! Ser passiva é todo um processo, é uma questão de atitude, é um estado de espírito! Passiva passada não existe - é preciso ter aCUidade mental, e até mesmo PICArdia, se necessário!!!

Por isso é aconselhável que a bicha fina ignore o insulto, mantendo aquele ar blasée básico, tipo os-cães-ladram-quando-a-carruagem-passa - comportamento adequado para xingamentos ouvidos na rua, por exemplo.

Agora, se você estiver numa festa ou numa boate (ou até mesmo na formatura daquela prima-chata-que-tem-um-colega-gostoso) e um boyzinho qualquer gritar "ô viado!", suba nas tamancas, adote a posição açucareiro (mãozinhas na cintura) e retruque: "fala amiga! só um reconhece outro tão depressa!". Se alguém disser "vou quebrar a cara desse viado", diga: "nóóóófffa.... que classe desunida!" ou em caso de dupla adjetivação na ofensa, tipo "viado escroto!", defenda-se sem medo: "Me respeita! Não sou escroto não!!!"

05) É chique fazer carão na boate?

Olha, particularmente (e também publicamente, já que não sou uma bicha de duas caras) sou contra o carão. Acho terrível ir a boate e ver aquelas bibas perfiladas, todas no carão - nariz em pé, bochechas contraídas e bocas no melhor estilo cú-de-galinha!! Dizem que na festa FicaComigo do ParouTudo ninguém achou os brindes escondidos na pista de dança porque as bibas não olhavam para o chão....

Agora tem até umas bonitas, rainhas do carão, que só dão pinta de óculos escuros... e ainda se gabam disso.... o-m-G! (ôumáiGódi!)

A passiva segura de si não precisa disso: ela é cool, ela é light, simpática, popular e por que não dizer, DADA! Ela fala com as amigas, ela sorri, ela paquera, ela circula sozinha pela boate, ela é livre!!! (Nossa, tá parecendo comercial de absorvente!!!)

Mas tudo bem, parece que a moda carão tá dominando o mercado. Então, amiga emergente, você que está se iniciando na vida, saiba que tudo tem seu preço e o carão tem um efeito CUlateral: de tanto se fazerem de superiores na boate, de tanto contraírem a musculatura se fazendo de bonitas, no fim da noite elas vão aliviar a pressão e são vistas no parque, saltitando livremente entre os pinheiros, fazendo alongamento (1, 2, 3, 4...e ficam de 4 até o dia clarear!). Agora você entende o porquê dos óculos escuros, não é?? (Aaaaai, as bonitas que me perdoem, mas o gongo é fundamental!! Até a próxima, meninas!! Beijos passivos)

Bem, pessoal, é isso, eu ri um bocado aqui em casa relembrando as macaquices que ela escrevia (quem fim a terá levado hein?). Quem souber do paradeiro avise. Hehehe. Beijos!!

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Preconceito & Cegueira

"Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara."
(José Saramago)

Estava eu remexendo uns papéis e encontrei um trabalho da Faculdade sobre "Preconceito e uma nova forma de ver o mundo". Achei bacana falar aqui sobre um lance de preconceito que já vivenciei, e que, vamos admitir, certas coisas não passam em branco.

Sou de origem pobre, nascido na Capital do Rio de Janeiro, criado em Cabo Frio/RJ, sou o sétimo filho (por isso mesmo me acho meio lobisomem) de uma dona de casa com um pescador (sim, pescador e sempre tive orgulho dele, além do mais cresci comendo lagosta tá? e sem pagar nenhum centavo por elas..rsrs).

Daí que um dia conheci um figura de Nova Friburgo/RJ, filho de comerciante, meio Patricinha, chamado Assis (sim, esse era o nome verdadeiro do FDP). Então o carinha tava super empolgado comigo, pegou o carro e desceu a serra pra vir me encontrar. Estávamos num papo super descontraído e afinado, ele parecia bem interessado, estávamos conversando sobre tudo, até que no meio de uma conversa qualquer, eu naturalmente falei qual era a profissão do meu pai. O carinha transfigurou-se e me olhou como se estivesse olhando um doente contagioso: "Ah, seu pai é pescador, é...?"

Bem, eu não acreditei que em pleno ano de 2000 e qualquer coisa eu estava escutando aquele tipo de coisa, mas respirei fundo e mandei: "Pescador sim, com muito orgulho, e quer saber? Ele criou sete filhos, deu comida, escola e educação, mas acho que o seu pai com muito mais dinheiro só conseguiu te dar comida, carro e escola. Porque educação passou longe." Dei um "tchau" e nunca mais o vi. Sorte a minha.

Isso me fez lembrar José Saramago em Ensaio sobre a Cegueira e seu filme homônimo, cuja a estória usa como pano de fundo a ficção de uma epidemia mundial de cegueira, para mostrar o quanto podemos ser maus por conta de nosso preconceito, pois, nesta sociedade terrivelmente imperfeita em que vivemos, é justamente nossa visão (literal e metafórica) que muitas vezes nos cega para o que realmente importa, distorcendo nossas opiniões em função de preconceitos estúpidos (e existe outro tipo?) que, ao manterem nosso foco no superficial (a cor da pele, a orientação sexual, a etnia), impedem que enxerguemos o real valor daqueles que nos cercam.

Aliás, seguindo esta lógica temática (e, claro, as intenções alegóricas da narrativa), é mais do que natural que os personagens não tenham nome, sendo identificados apenas por suas profissões (o Médico, o Contador), por suas relações mais significativas (a Mulher do Médico) ou por suas características mais marcantes (o Garoto Estrábico) – e não é justamente assim que costumamos definir, de maneira simplista e injusta, aqueles que nos cercam?

A obra de Saramago critica os valores sociais, mostrando-os frágeis, pois onde ninguém vê, teoricamente nada aparece, elucidando que os valores, sejam morais ou materiais, são atribuições que homem faz. Neste contexto, a obra mostra desde aventuras sexuais, o pudor, que já não existe porque não é visto, até à imundície que se instala por toda a cidade.

Advogando a tese de que aquelas pessoas (todos nós, na realidade) já viviam num estado de cegueira antes mesmo de perderem a visão, o filme, assim como o livro, sugere que:

somente ao perdermos a capacidade do pré-julgamento nos tornamos realmente capazes de estabelecer uma conexão verdadeira com o mundo ao nosso redor – e mais: que a única cura possível para este isolamento auto-imposto (a “cegueira” de Saramago) é o reconhecimento inequívoco de que, afinal, dependemos profundamente uns dos outros e que enxergar de fato o próximo é, acima de tudo, um exercício de tolerância e amor.

Beijos, e lembrando que PRECONCEITO É BURRICE!

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Carta a um amigo com Síndrome de BLB

Bem pessoal, acho que todo mundo aqui já conheceu (ou é o próprio) alguém que sofre da terrível Síndrome de BLB (Bicha Louca por Bofe). Pois é, muito chato quando isso acontece, pois a pessoa não consegue se relacionar com seu semelhante (gay, não precisa ser assumido pro mundo, mas que pelo menos assuma pra si mesmo e para com quem se relacione), mas isso parece um sina a qual muitas amigas bills estão fadadas. Só se sentem atraídas por bofes (os pelo menos aparentam ser), o que pode ser muito perigoso, pois esses bofes ou pseudo-bofes muitas das vezes são "carreiristas" que se aproveitam dessa fraqueza da bicha pra "ficar na aba" e se dar bem, nem que seja pra fumar um baseado de graça.
Cansada de dar conselhos pra um amigo que sofria desse mal, nossa querida colaboradora Meyre de Mesquita escreveu uma carta jogando a toalha e simplesmente confortando esse nosso amigo em comum. Hoje ela me me mandou um email autorizando a publicar a carta (devidamente adaptada pro nosso blog) e mantendo a identidade do destinatário anônima. Achei muito pertinente a idéia dela porque sei que não é um caso isolado, e que pode servir pra muita gente talvez encontre aqui algum conforto:

Caro amigo X.


Desculpe se não te dei a atenção necessária na noite passada (mesmo porque é impossível manter o tipo de conversa que desejaríamos por msn). Sei o quanto você estava precisando desabafar, pôr p’ra fora tudo que está engasgado, exorcizar esse sentimento estranho que assola sua doentia alma enamorada.

No entanto, creio que neste momento não fará muita diferença vomitar ou não – no final você põe tudo p’ra dentro novamente. Gostaria de fazer algumas considerações acerca daquilo que nos falamos e te peço p’ra ler o que vou escrever ciente das contra indicações: diferente do que já papeamos, não quero te incitar a deixar o tal carinha de lado.

Não quero MESMO e sabe o porquê? Quando você menos esperar, sorrateiramente isso passa. É bobagem se deixar levar por um quadro momentâneo – tudo na vida passa. Até a sua própria vida passará um dia. O início, não dá p'ra negar, é sempre a pior parte: você chora, tem crise existencial, quer se matar, quer matá-lo, diz que quando superar isso tudo vai mudar, pára de beber, pára fumar, pensa em aceitar a Jesus, volta a fumar de novo, se inscreve na academia pra dar um upgrade na aparência (esquecendo que o problema não está no seu corpo, mas sim na sua cabeça).

Um belo dia você acorda e percebe que essa dor não vai te matar, e entre inúmeros flashes de memória emerge uma bolha tímida das águas sombrias da consciência, te fazendo lembrar que ele não era tão bom de cama quanto você pensava ou o quanto você detestava esse ou aquele hábito chatinho dele. Daí, depois de um LONGO dia de trabalho, você chega em casa e escuta aquela música que há tempos não toca no i-pod, MP3, ou derivados, e ele te liga. E você nem se dá ao luxo de atendê-lo, porque após a centésima reprise da novela mexicana de frases feitas, a pobre e inocente mocinha começa a entender que o príncipe nem era tão encantado assim.

Falta alguma coisa, mas o quê exatamente? Saudade dos dias em que sentia um vazio tremendo antes, durante e depois de procurá-lo? Saudade de chorar quando não restam lágrimas? Saudade de explicar detalhadamente o que é óbvio, dando uma de otário – porque dos dois um: ou você se expressa mal p’ra caralho ou ele é um retardado. 'Tá certo que nem todas as palavras do mundo conteriam o sentido pleno, concreto e real daquilo que muitas vezes nos esforçamos p’ra transmitir, mas 'pera lá: não conseguir entender "eu te amo”, será que é tão difícil? A gente não entende o coração mesmo! (também pudera, ele não vem com manual, nem assistência técnica - é normal.) Quando menos se espera, resta a sensação de repousar a cabeça sobre o travesseiro em paz, jogando pernas e braços encima de uma solidão que é quase companheira, que não é má – porque existe solidão boa (é como vovó já dizia: antes só que mal acompanhado).

Te quero muitíssimo bem, amigo. Seja mais razoável consigo. Quando tudo parecer cair ao seu redor, lembre das palavras simples de uma grande poeta:

”Baby, don't worry about a thingBecause every little thing is gonna be alright..."

Muita paz, amigo (muita mesmo!)
Meyre de Mesquita.

PS.: Sabem o que aconteceu com nosso amigo com Síndrome de BLB? Um dia ele acordou e viu que passou. E o Bofe? Desaquendou, é claro.

Beijos!

sábado, 15 de agosto de 2009

Solidão: As 7 maldições sobre um gay

(By Johan)
Sim, a vida de um homem gay é grandiosamente ameaçada por um poder cósmico que conspira e que atinge nossa vida em cheio. Não importando idade, classe social, credo ou opção posicional. A verdade desta regra é clara e trata-se de um fato que a gente vai ter que superar sempre, as vezes existem exceções, como a regra, mas como nada é para sempre, um dia estarás sozinho, e lá estará a regra novamente, rindo de você.
Imagine-se solteiro, louco para casar, e você vai a boite, ou encontra alguém da internet, e a pessoa passa no seu teste de qualidade, sem muitos méritos, afinal você estava desesperado(a) em achar alguém. Mas você pensa, ainda que no fundo, tudo pode dar certo. Mas a gota d´água é quando você cai na real, (de quatro que nem gato) e percebe que o príncipe virou um sapo por quê:
***
1- Ele é uma bicha-garoto de programa. (Eca... sem preconceitos, mas ainda não estou na idade de pagar - rezando para que ele ainda diga que te ama ou diga que é tudo mentira). E ele ainda faz exatamente o que você melhor faz na cama.
***
2 - O cara é o maior galinha ou canalha que você conheceu. (E o pior de tudo, é que ele consegue ser mais galinha e cara-de-pau do que você). Rola um grande medo de expor-se aos outros e também de se machucar. Aquela sensação de vai dar merda acompanha todos os instantes desde que os olhos se cruzaram... e o pior, vai dar merda mesmo, mas ele é tão bonitinho...
***
3 - Ele tem namorado. (As vezes é só desculpa para te despistar, piora quando é verdade ou tem um ex na disputa, que pode ser considerado favorito já que ele passou pelos testes iniciais e você não). Provavelmente ele irá manifestar querer ser teu amigo, ou pedir um tempo para se curar e você nunca saberá qual a dele realmente.
***
4 - O cara é quase uma dragqueen. Putz, você não havia reparado o quanto ele é delicado. Nada contra as P.A.M(passivas até morrer), mas comprar gato por lebre é foda. A não ser que estejas numa fase lésbica da sua vida, acho que não dará certo. Tem gente que gosta de gente afetada, mas geralmente só na cama e bem longe do convívo social. Tudo bem, você é realmente um homossexual se não gostar de afetados. Mas não descrimine, a final ninguém sabe o dia de amanhã, vai que você entra na irmandade deles.
***
5 - Tudo ia bem até que você descobre que o cara é um maníaco. Tudo bem ele não era muito romântico mesmo. E muito menos carinhoso, mas ele nunca piscava quando olhava pra você. Poxa, ele te olhava toda hora, de cima em baixo, te media... meu deus ele pode ser um USB killer (serial está fora de moda). O cara não fala do passado, não tem cara de quem quer fazer plano pro futuro, e no presente é um mistério. A não ser que você goste de viver perigosamente - que nos dias de hoje é uma idiotice - você vai achar o cara estranho ao extremo. E como isso vai fazer você sonhar com ele... mas ele faz coisas que você abomina.
***
6 - Quando você acha que ele passou nos testes anteriores, você repara: que ele é fisicamente ou mentalmente fora de padrão (do seu padrão). Ele é mais baixo do que você esperava encontrar alguém, tem um hálito desagradável, fugiu da escola, é humilde demais para você, é pedante demais, tem pinto torto, tem um terceiro mamilo, tem uma vida totalmente ociosa, tem uma vida muito agitada, não vive - só fuma, têm pêlos demais (tem pêlos até na orelha ecaaaa)... pois bem, ele tinha alguma chance, até então.
***
7 - A última das maldições é a pior de todas. Ela mexe com a moral e integridade do gay. Ele passou por todos os testes, um amor de pessoa, um sorriso lindo, está louco por você, ele é perfeito, deve beijar hiper bem, você vai para beijá-lo mas lembra: ops estou namorado. Sim... você está de rolo faz uma semana com aquele rapaz "simpático". A grande pergunta é: vai trocar o certo pelo duvidoso? Lembre-se que o mundo dá voltas e que ninguém vai apostar num relacionamento com um cara que acabou de chifrar a pessoa ausente por "algo melhor".
***
Bem, acredito que ainda existam algumas maldições. Mas estas são as principais. Lembra do carinha "simpático", ele pode ter o potencial dele, descubra. Mas lembre-se: até mesmo o mais nobre dos cavalheiros um dia cansa de comer caviar... e ele vai querer rapadura, estaja preparado ou leve ele pra comer ... mas lembre: abafe! (e gente, não vamos esquecer que esse texto aqui é uma grande brincadeira que o Johan escreveu pra divertir a galera, porque rir também faz bem!)

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Como lidar com a instabilidade na relação homossexual?

Não é raro a gente ouvir de alguém do nosso meio a máxima: "Ninguém quer nada sério, só bagunça, etc..." Às vezes essas pessoas têm razão. Às vezes. Conheci uma pessoa que dizia que tinha dedo podre pra relacionamento, o que também tem um pouco de fundamento.
Mas colegas, vamos por um pouco o pé no chão: o quanto a gente se esforça pra coisa dar certo? O quanto a gente se esforça pra não sucumbir às tentações carnais (ui!) que podem abalar um relacionamento? O colega Ju Cabala aqui já quebrou muuuuito a cara, por ser mais fraco que a carne (e que carne!) e por muita falta de boa vontade em se ajustar com uma pessoa que estaria disposta a viver algo legal.

Existem algumas questões sobre as quais você deve refletir:

Primeiro: será que as escolhas que você fez foram conscientes ou os namorados que você teve foram os que aconteceram aleatoriamente na sua vida? Os acasos existem sim, e às vezes dão super certo, mas dentro desse critério de achismo, se você quer uma relação que dure, deve escolher pessoas que tenham como caracteristica a estabilidade uma vez que dificilmente as pessoas adultas e já cheias de manias mudam. Se você encontrou um cara conhecidamente galinha, é bom ficar atento, e não pode reclamar depois se quebrar a cara. O impulso sexual as vezes é algo muito muito forte na personalidade masculina.

Segundo: Será que seus namorados não acabaram percebendo que você estava com eles apenas por ser desagradável para você ficar sozinho? Que por esse motivo dificilmente você os largaria, tirando assim da relação amorosa sua essência que é o jogo? Todo mundo precisa se sentir específico em uma relação, sentir quer tem algum valor pelas suas características. Ninguém gosta de ser apenas "qualquer um que faça companhia".

Terceiro: homo ou hetero, homens são homens e mantêm características impulsivas de homens, como por exemplo, uma grande necessidade de trocar, variar ou relacionar-se simultaneamente com vários parceiros. Nesse sentido, no mundo gay masculino a estabilidade é bastante rara. Mais um motivo para entender bem as características da pessoa que você escolhe.Talvez, com esses pontos mais claros para você, suas escolhas possam ser mais conscientes e suas decepções amorosas mais raras.
***
Existem muitos outros pontos a considerar que em outra hora falaremos mais e lembrando da máxima que a nossa outra metade da laranja é sempre um limão. Basta saber fazer dela uma deliciosa limonada.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

DRAUZIO VARELLA - A gripe que não tem fim

"Estamos vivendo uma era de pandemias que se iniciou em 1918, com a gripe espanhola "O VÍRUS H1N1 causador da gripe atual anda à espreita da humanidade há mais de 90 anos.
Estamos vivendo uma era de pandemias que se iniciou em 1918, com a gripe espanhola.
Naquele ano surgiu um novo vírus -mais tarde classificado como H1N1- com seus oito genes arranjados num formato que o sistema imunológico humano desconhecia. Pagamos caro pelo desconhecimento: 40 a 50 milhões de casos fatais.

É quase certo que esse vírus tenha se originado nas aves e migrado para a espécie humana, quando o acaso agrupou seus oito genes num arranjo tal que a estrutura resultante adquiriu a capacidade de transmitir-se de uma pessoa para outra.À medida que a gripe espanhola se disseminava pelo mundo, trabalhadores rurais transmitiram o vírus para os porcos. Desde então, os H1N1 das gripes suína e humana têm sofrido mutações, arranjos e rearranjos de seus genes, que lhes permitiram sobreviver aos ataques do sistema imunológico de seus hospedeiros, sejam porcos ou humanos.

Como na natureza o vírus influenza A não infecta apenas porcos e homens, mas principalmente as aves, as possibilidades de novas mutações e de arranjos genéticos se ampliam de maneira descomunal, em virtude das dimensões do reservatório mundial representado pelas aves domésticas e selvagens.Acostumados a atacar as mucosas que revestem o trato digestivo de milhares de espécies de aves, algumas das quais infectadas ao mesmo tempo por diferentes vírus influenza que trocam fragmentos genéticos uns com os outros, é inevitável que surjam partículas virais com habilidade para sobreviver em hospedeiros de outras espécies.Em 1947, a vacina contra a gripe sazonal daquele ano não protegeu contra a doença.

A ausência de atividade ocorreu porque o H1N1 que se disseminou depois da Segunda Guerra apresentava variações em sua estrutura molecular que o tornavam muito diverso dos que circularam antes da guerra.Como por encanto, o influenza A (H1N1) desapareceu do reservatório humano, em 1957. Foi desalojado por um vírus resultante da recombinação de cinco genes do mesmo H1N1 da linhagem de 1918, com outros três genes de origem aviária. As partículas virais resultantes, batizadas de H2N2, provocaram a pandemia de gripe asiática, causadora de cerca de 1,5 milhão de mortes.Em 1968, novas combinações genéticas deram origem ao H3N2, responsável pela terceira pandemia do século 20: a gripe Hong Kong, que provocou quase 1 milhão de óbitos.O H1N1 ressurgiu das cinzas apenas em novembro de 1977, causando epidemias de gripe de pouca gravidade na antiga União Soviética, em Hong Kong e no nordeste da China.

Do ponto de vista genético, o vírus guardava relação com o H1N1 que causou gripes sazonais em 1950.Os virologistas admitem que essa reemergência aconteceu graças à liberação acidental de uma amostra do vírus H1N1 isolado na Escandinávia em 1950, e armazenado em laboratório. Está demonstrado que vírus influenza A (H1N1) circulam entre porcos norte-americanos desde os anos 1930, mas não haviam sido isolados em suínos europeus até 1976, quando chegou à Itália um carregamento de porcos americanos.Em seguida, patos selvagens introduziram entre os porcos europeus um novo vírus H1N1. Em 1979, apenas três anos depois da importação, a nova cepa de origem aviária se tornou predominante na Europa. Acontecimentos semelhantes ocorreram na China.Em 1998, foi identificado pela primeira vez em porcos norte-americanos um novo H1N1, com genes resultantes de um triplo arranjo genético: cinco fragmentos de seus genes vinham da gripe suína norte-americana clássica, dois da gripe das aves e um da gripe humana.

Entre 2005 e 2009, sugiram pelo menos 11 casos de gripe causada por esse vírus; quase todos entre pessoas que tiveram contato direto com porcos.Em abril de 2009, no final da estação de gripe sazonal do hemisfério Norte, apareceram os primeiros casos da pandemia de H1N1 que agora chega ao Brasil. O agente é resultante de um rearranjo que envolveu seis genes do vírus suíno de 1998 (formado pelo triplo arranjo genético porcos, aves e humanos) e dois genes de vírus suíno originados na Eurásia. É a quarta geração de descendentes do vírus que causou a gripe espanhola. Felizmente, muito menos agressivo do que seus ancestrais.


Fonte: São Paulo, sábado, 01 de agosto de 2009 - Folha de São Paulo.

Low Cost Computing: O Que Devemos Saber Para Comprar Um PC (Parte 1)

(Escrito por nosso Colaborador Israel Pereira - Técnico/Consultor de Informática exclusivamente para o nosso Blog)
Então pessoal, é o seguinte: Estava eu conversando com um amigo super fera em Informática e nos ocorreu que ele poderia colaborar com a gente dando dicas importantes sobre uma coisa que as vezes nos parece impossível de entender - computadores, é claro. E Levando-se em conta que este aqui é um blog de utilidade pública, nosso manual de sobrevivência também deve incluir este assunto, pois uma pessoa sem um PC, ou sem ele estar funcionando corretamente é uma pessoa ilhada no mundo e totalmente isolada de coisas vitais à nossa existência como por exemplo Bate Papo UOL, Disponivel, Manhunt, Troca-troca, UOL-K, entre outros sites "educativos"... rsrsrs.
Por isso recorri ao Israel pedindo umas dicas básicas pra gente saber e entender um pouco quando for adquirir ou repaginar nosso computador, pra acabar não errando muito e não gastar uma fortuna com uma coisa que pode nos ser desnecessária. Abaixo vão as dicas desse camarada formidável que se dispôs prontamente a nos ajudar nesse assunto "bicho de sete cabeças" :


Que Devemos Saber Para Comprar Um PC

Quando nos vemos necessitados em adquirir e/ou migrar de tecnologias de informática, logo nos ocorre a seguinte pergunta: “O que posso/devo/não posso comprar?” Para resolver, ou, pelo menos, evitar algumas dúvidas nesse importante e decisivo momento, resolvi escrever algumas daquelas que considero importantes considerações e quesitos nos quais devemos prestar muita atenção ao comprarmos um equipamento PC. Que fique bastante claro que a minha intenção aqui não é depreciar nem glorificar essa ou aquela empresa/fabricante, e sim orientar aos usuários sobre aspectos importantes a serem considerados, principalmente sobre a relação custo/benefício, de modo a escolher um equipamento que atenda às necessidades básicas de qualidade & bolso.

MONTAR OU COMPRAR UM PC?
Uma boa solução para quem quer um PC Desktop de bom desempenho, e que não saia a um preço exorbitante, é montar com uma configuração personalizada. Além de você saber o que estará escolhendo, não correrá o risco de estar adquirindo um equipamento superdimensionado (com preço e configuração excessivos) ou subdimensionado (que não entregará o desempenho que necessário para as tarefas executadas). Por exemplo, um PC com placa de vídeo onboard (embutida na placa mãe), não entregará um desempenho mínimo aceitável para a execução de jogos em 3D. Já uma máquina com mais de 2 GB (gigabytes) de memória e 500 GB de HD (disco rígido) é considerado exagero para quem só usa o computador para navegar na internet, fazer pesquisas, trabalhos de texto etc.

Outra vantagem em montar um PC, é a segurança de poder escolher equipamentos de qualidade, e, principalmente, a liberdade de escolher componente por componente utilizado na montagem do mesmo, de forma que atenda um patamar aceitável de qualidade, onde você possa escolher os fabricantes mais sérios e idôneos, e que trabalham com uma maior gestão de qualidade (e, acredite, há bons fabricantes de hardware que oferecem qualidade, confiabilidade em equipamentos de hardware, sem cobrar fortunas por uma máquina de grife). Enfim, com toda essa flexibilidade e um leque bastante amplo de opções, tem-se a possibilidade de montar um PC que vá atender exatamente a sua demanda, sem faltas, e sem excessos.

No entanto, o que devemos saber antes de comprar um PC ou Notebook? Redobre a atenção, pois algumas das dicas aqui (com certeza) serão fundamentais para a escolha de um PC perfeito para a sua utilização. Se você utiliza jogos 3D constantemente, e quer uma máquina que atenda as suas necessidades, o ideal é investir em uma configuração gamer, neste caso, comece pelas máquinas com pelo menos 2GB de memória RAM, placa de vídeo GeForce série 8 ou 9 ou ATI Radeon série 9600 ou 9800 com memória dedicada, HD (disco rígido) de 250GB e processadores com pelo menos 2 ou mais núcleos e no mínimo 2MB de memória cache (memória interna do processador que acelera a comunicação do mesmo com os outros componentes, como placa mãe, memória RAM, placas de vídeo, discos rígidos, etc) Exemplos de processador.: Intel Core2Duo, AMD Phenom X3 ou X4.

Já para as tarefas mais simples, como pesquisas na internet, trabalhos de texto, atividades que não demandem gráficos mais elaborados, já leva uma receita mais light e custo mais modesto, neste caso, um PC equipado com processador Intel Celeron ou AMD Sempron LE, placa mãe onboard, e HD de 160GB, dão conta do recado tranqüilamente...

Low Cost Computing: O Que Devemos Saber Para Comprar Um PC (Parte 2)

(Escrito por nosso Colaborador Israel Pereira - Técnico/Consultor de Informática exclusivamente para o nosso Blog)

...Para as tarefas mais voltadas para a área multimídia, como os maníacos por música, clipes, fotografia e filmes, que costumam queimar (gravar) bastante dvd’s, é de bom tom priorizar uma configuração com um processador de núcleo duplo nos seus modelos de entrada (que não são os mais baratos, entregam um desempenho razoável, sem custar fortunas). Dois exemplos de bons processadores para essas aplicações são Intel Pentium Dual Core e AMD Athlon 64 X2. O ideal para essas tarefas, é usar pelo menos 1 GB de memória RAM.
Quanto ao disco rígido (que se traduz em espaço para o armazenamento de informações), fica a critério do costume do usuário. Se você costuma baixar ou copiar dvd’s, sem manter os arquivos armazenados no HD, use um disco de 160GB. Se costuma guardar tudo que baixa e copia no PC, priorize um disco maior, de pelo menos 320 a 500 GB (a diferença não chega a ser tão grande na maioria dos casos).
Em relação à gravadora de DVD’s, vale à pena desembolsar uma diferença de 20 a 30 porcento ao escolher uma Pioneer, uma vez que ela lhe retribuirá cada centavo investido devolvendo-lhe cópias e gravações infinitamente menos propícias a erros, além de uma durabilidade muito maior.
Uma dica para os utilizadores constantes de câmeras digitais e/ou celulares com cartão de memória/câmera embutida: É interessante utilizar um leitor de cartões de memória na parte frontal do gabinete para descarregar com praticidade e facilidade as fotos de sua câmera digital e/ou celular (muitas vezes, nos poupando daqueles programas chatos e complicados de celulares ou de descarregamento de câmeras digitais cheios de frescuras e bagulhetes desnecessários, pois basta você inserir o cartão de memória no mesmo, para que ele o reconheça como um pendrive ou outra fonte de armazenamento removível, sem a necessidade de cabos e mais cabos USB).
Se você já possui um PC, e a grana está curta pra trocá-lo, há ainda a opção de fazer um upgrade, que consiste em dar uma repaginada no equipamento, mantendo-se o que mesmo já possui, e modificando/acrescentando ingredientes para apimentar o desempenho do mesmo. Neste caso, substituir placa mãe, processador, memória e cooler já é um começo para deixar a sua máquina mais nova. Há também, a opção de adquirir a placa mãe Intel D945GCLF2D (com processador integrado à mesma de fábrica). Aí é só instalar memória DDR2 e um gabinete com fonte ATX (caso o seu atual seja AT, ou se o seu gabinete atual suporte uma placa mãe de formato ATX ou Mini-ITX, mas não tem fonte ATX). Vale lembrar que as placas mãe Intel possuem 3 anos de garantia de fábrica, bastante qualidade tranqüilidade para um investimento modesto, não?
Israel Pereira é Técnico/Consultor de Informática


Repetindo aqui que escreveu este Post exclusivamente pra nosso Blog, para que nós, que não temos muita intimidade com essas parafernálias eletrônicas (que pra mim é coisa de outro mundo), tenhamos a chance de saber exatamente o que pretendemos adquirir, com um custo que caiba extamente no nosso bolso atendendo às nossas necessidades.
Beijos Israel!!

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Como se garantir num encontro?

(Texto gentilmente cedido por Lipp)
Bem pessoal, tava eu lendo o delicioso Blog do Lipp (http://www.eutefuro.blogspot.com/) e vi esse post maravilhoso e bem pertinente pra nosso manual diário de sobrevivência, entrei em contato e ele muito delicadamente (e sem abosultamente nenhuma soberba) permitiu que eu usasse aqui. Delícia mesmo:
***
Sempre pode ocorrer de você odiar a pessoa com quem você está saindo ou simplesmente não bater aquela sintonia, e para evitar algo constrangedor do estilo estou-indo-embora-porque-não-rolou, você pode ser pró-ativo e usar algumas ferramentas legais:

1 – Sempre que for sair com alguém avise que você tem um compromisso mais tarde, algo como um jantar de família ou uma despedida de uma amiga que vai pra a China..., porque caso a saída não seja muito promissora, você usa a tática do ‘tenho que ir, te ligo amanhã ok?’

2 – A tática do compromisso mais tarde é excelente inclusive nos bons encontros, porque quando a coisa começar a fluir e a pessoa falar 'mas você não tinha que ir pra ____?', você dá o melhor sorriso biscate que conseguir e fala 'ah, deixa pra lá, aqui está muito mais divertido' e pronto, ela vai se esforçar muito para te compensar!

3 – Sempre peça pro seu melhor amigo te ligar depois de uma hora que estiver com a pessoa, a ligação vai servir para você parecer ocupado, cheio de amigos e pode ser usada como desculpa para você ir embora, caso seja necessário.

4 – A ligação ainda pode ser útil pra fazer o tipo não-atendo-ligações-agora.Fale agora ou cale-se para sempre: quem nunca quis fazer o tipo que esnoba ligações na frente de um possível peguete? (se bem que isso pode soar rude, se não atende ele, pode não me atender...)

5 – Nunca fique trocando mensagens enquanto você estiver com alguém num encontro, esta é umas das coisas mais chatas que alguém pode fazer.E se a pessoa fizer isso com você, olha bem para cara dela, pega seu celular fale com alguém e diga para ela: 'desculpa, preciso ir, a gente se vê, se cuida.' E sai linda, loira e superior.

Mas, por favor, não vá para casa e não dê a rata de cair no mesmo lugar que o encontrado.
Pelo amordedeus.
***
Acrescentando ainda ao texto do Lipp que se o clima rolar e talvez até um sexo casual, e você ficar a fim, e tiver a coragem de perguntar quando vocês de verão novamente, e ele responder: "vamos ver, eu te ligo." , desencana e parte pra outra gatinho:outros encontros ou namoro ali não são coisas que estão nos planos dele.
Beijos Lipp!!

Falando em leitura....

Bem pessoal, levando em conta o último post do Titio Geraldo (http://www.maninthebox.blogger.com.br/ meu muso inspirador) falando sobre a importância de ler, decidi usar o tema pra dar umas dicas de leitura pro pessoal ficar mais um pouco antenado à nossa Literatura, que não perde pra absolutamente nenhuma do mundo (e se Eça de Queiroz tivesse sido brasileiro, seria então a maior Literatura da nossa Galáxia...rsrsr), enfim vamos lá:

1º - É bom ter lido de tudo um pouquinho, mesmo que seja um tema chato, porque nunca se sabe em que roda de conversa a gente vai estar numa reunião, festinha, recepção e tal, mas o mais importante é ter em mente que nunca que sabe qual o grau de leitura que o paquera mais interessante da noite vai ter, então é bom que você tenha um mínimo de munição na sua mente pra poder esticar um bom papo com ele se for o caso. Literalmente.

2º- Pra começar, esqueça esse papo que livros são caros: passe a frequentar os sebos, livros usados são baratérrimos além te ter um charme a mais, e a chance de garimpar preciosidades existem (eu por exemplo comprei há 3 anos um exemplar raríssimo de Lygia Fagundes Telles de 1949 que não foi mais publicado desde essa época, proibido pela própria e hoje vale uma grana preta..rsrs), além de ter a chance de conseguir um livro autografado pelo autor.

3º- Ainda falando dos sebos, dá pra comprar qualquer livro em bom estado por uma média de 10 a 12 reais. E impressiona bem o gatinho que chegar na sua casa e ver uns livros com aspecto de já bem manuseados (usados), vai te dar um ar mais elegante e cool (mas não finja que os leu, leia mesmo, pois vai que o gato já leu e engata um papo sobre algum deles e vc fica boiando? Imperdoável.)

4º - Vamos a uma listinha básica de algumas obras que você precisa ter lido pra se sair bem em qualquer relação social e não fazer feio:

*Marilena Chauí - Convite à Filosofia
Tem gente que acha que Filosofia é uma coisa chata, mas é uma das maiores delícias da Humanidade (depois do sexo, é claro), e este livro de Ensino Médio (sim, sim, Ensino Médio mesmo) traz uma Filosofia de forma fácil, alegre, leve e gostosa (só pra ter idéia, a introdução dele é falando sobre o filme Matrix, ducaraleo), e faz uma passagem por toda história da Filosofia da Humanidade sem ser cansativo, na verdade, Filosofar é refletir sobre o sentido das coisas, buscando nosssas verdades, coisas que fazemos o tempo todo sem perceber, e como diz meu amigo Twister: O reconhecimento da própria ignorância é o princípio da Filosofia. E completando com uma professora de Filosofia da Educação que tive na Faculdade: Não se aprende Filosofia, apenas se aprende a Filosofar./Quanto mais eu aprendo, menos eu sei. Enfim, não tenha medo, aventure-se, não vai se arrepender, o único risco é pirar o cabeção quando começar a refletir demais sobre o que acontece ao seu redor.

*Clarice Lispector
Escritora Ucraniana, naturalizada brasileira, de escrita nem sempre fácil, mas intimista e profundamente reflexiva. Tive a chance de ler quase toda a obra dela, e fica dificílimo escolher algum livro pra dar a dica aqui, mas arrisco pra iniciantes dois livros de contos maravilhosos: Felicidade Clandestina e Laços de Família (com destaque pro conto O Búfalo neste último "...onde aprender a odiar para não morrer de amor?...") Inexplicavel, só lendo pra saber o que é.

*Eça de Queiroz
Escritor português com grande influência do Brasil, se puder leia Os Maias (que inclusive virou uma minissérie excelente) e O Crime do Padre Amaro. Imperdíveis.

*Lygia Fagundes Telles
Um monstro sagrado vivo. Não há como explicar as palavras-faca desta mulher que aos 86 anos ainda produz maravilhosamente bem. Ocupa a cadeira de Imortal da Academia Brasilera de Letras. Sou suspeito de escolher alguma obra dela pra indicar, já li e reli e reli e reli tudo dela, mas pra inciantes eu indico dois maravilhosos: Antes do Baile Verde (contos) e Ciranda de Pedra (romance), tendo este último sido escrito em 1954 e abordando temas tabus na época como traição, desquite, eutanásia, suicídio, impotência sexual, homosexualidade feminina, não aceitação social, etc. Dois Livros pequenos e rápidos de ler. Mas o impacto é profundo, não se engane.

*Rubem Fonseca, o Rubão
Outro monstro sagrado ainda vivo, 2 anos mais jovem que Lygia, sua escrita pode assustar os mais sensíveis por ser tão politicamente incorreto e pela quantidade de palavrões e palavras chulas. Adoro.
Posso indicar O Cobrador (contos) e Vastas Emoções e Pensamentos Imperfeitos (romance policial). Um soco na boca do estômago.

*Jorge Amado
Putz, falar o que dele? Sua fama o precede, mas tenho uma paixão: Capitães da Areia, impossível não chorar (chorar mesmo) com aqueles meninos de sonhos destruídos pela pobreza. E Gabriela Cravo e Canela, um pouco longo mas delicioso.

*Rachel de Queiroz
A primeira mulher a entrar pra ABL, inteligentíssima, não gostava de gente burra, um arraso. Leia O Quinze, você nunca mais será o mesmo.

*Caio Fernando Abreu
Todo gay é gamado nele, realmente o cara era fodão, às vezes tinha uma escrita um pouco chula como Rubão, mas na maioria era sempre muito sensível e intimista. Recomendo O Ovo Apunhalado e Morangos Mofados (ambos de contos). Faleceu vítima da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida em 1996. A obra do cara é vasta.

*Marina Colasanti
Nascida em Asmara na Etiópia, sendo de família Italiana, veio pro Brasil criança. Foi colunista da Revista NOVA onde respondia sobre problemas de relacionamentos, etc. Teve uma coluna de crônicas no Jornal do Brasil, que era maravilhosa. Indico Eu sei mas não devia (crônicas), Contos de Amor Rasgados e Intimidade Pública. Não tem como não gostar. Um dia ela me disse (pessoalmente) que quando ouvia algo maravilhoso como Mozart ou um quadro de Monet, tinha o reconforto da certeza de que o ser humando não poderia ser só aquela porcaria que a gente vê.

*Danuza Leão
Bem, essa mulher teve uma vida formidável: primeira modelo brasilera a se tornar internacionalmente famosa, foi atriz de cinema, jurada de programa de auditório, promoter de casa noturna, foi rica, classe média média, classe média alta, classe média baixa, esposa de poderoso (era íntima de Getúlio Vargas e sua esposa assim como de JK), esposa de poeta, e por aí vai. Mas sempre trabalhou e batalhou muito pra se manter finaceiramente e se impor como mulher inteligente e respeitável. Tudo que escreveu sempre foi muito bom, mas indico aqui 3 obrigatórios: Na sala com Danuza (etiqueta moderna), Danuza todo dia (crônicas) e Quase Tudo (autobiografia). O mundo inteiro deveria conhecer essa mulher.

Gente, o post tá grande demais e sei o quanto fica cansativo ler algo tão longo, mas acreditem, fiz de boa vontade pra dar uma pincelada mínima do que a gente deve ler, pra não fazer feio em lugar nenhum, mas prometo fazer uma segunda e terceira parte deste post de escritores maravilhosos que nossa Literatura tem. Ou vocês acham que esqueci de Machado de Assis, João Saramago, Fernando Pessoa, Chico Buarque, Luis Fernando Veríssimo, Ariano Suassuna, Carlos Drumond de Andrade, Cecília Meireles entre outros Deuses que habitaram e habitam nosso planeta? Mas acho que pra começo tá bom. E embora eu adore as gírias da novela das oito, talvez consiga mostrar que podemos ainda ter um papo interessante, né titio?
Beijos!