sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Pegação em banheiros públicos (By Tchynna)


*Gente, todo mundo que me conhece sabe o quanto desaprovo essa prática. Tenho um amigo que não admite ir a uma boate gay por medo de se "expor" em um ambiente desses, mas se expõe muito mais (ao meu ver) em banheiros públicos de rodoviárias e shoppings, correndo o risco de receber uma descompostura, além dessa prática ser extremamente insalubre (Gonorréia vai render um post aqui em breve), então, como amigo é igual a peido, e cada um atura o seu, respeito a opção desse amigo e de outras pessoas, pois também tenhos meus vícios que aos olhos de outros podem parecer coisas horrendas (sexo grupal, bebida em excesso, tranquilizantes misturados com bebidas, etc.), e não admito que ninguém me censure, só tenho que respeitar a opinião alheia.

Mas ainda ainda defendo a máxima de que a exposição dessas atitudes em lugares impróprios só retrocedem o processo de amadurecimento social e o fim da homofobia.

Sendo assim, pesquisei um artigo sobre pegação em banheiros pra galera que gosta praticar seus "hábitos" sem dar muita bandeira nem se arriscar muito. Beijos, Ju Cabala.

Dicas Certeiras da Tchynna no Terminal Rodoviário:

- Seja discreto. Entre no banheiro e faça o levantamento de bofes os mais rápido possível. Se não tiver na interessante, finja um xixizinho e corra pro outro banheiro, mas faça o caminho mais longo porque ninguém precisa notar seu movimento.

- Caso esteja num momento de entre safra, saia e espera na fila de ônibus mais proxíma. Ficar lá dentro, além de insalubre e dar muita pinta. Na fila, ninguém vai reparar e ainda a pessoa que estiver atrás de você vai ficar feliz quando você abandonar o lugar para ir atrás do cafuçu escandalo que uma hora vai aparecer!

- Bill, ninguém mais acredita no truque do lavar a mão, escovar os dentes e tirar espinhas. Se ficar muito tempo, o povo já sabe: bicha pegadeira na área. Fora que quase nunca há espelho nesses lugares. Bicha, você não está no shopping!

- Tudo tem que ser muuuuuito rápido. Indentificou o bofe, rolou o olhar, tem que agir logo. Muitos só fazem a pegação no intervalo entre um bus e outro, e no horário de pico é coisa de 20 minutos, no máximo. Nada de romance, “me apaixonei no seu olhar” ou coisa do tipo. É cair de boca – ou botar pra rezar!
- Silêncio é sempre essencial. Nada de ficar miando ou se achando o leão fodedor lá dentro. Fuder em banheiro público ainda não é bem visto por essa gente. E os bofes no armário também fogem de bichas tagarelas e escandalosas.

- O olhar é tudo. Aprenda a decifrar olhares de “venha cá”, “entre ali”, “espere um pouquinho”, “me chupa”, “me come”, “deixa eu meter”, “vou gozar”, “na minha boca nãoooo”, “te odeioo – cospe” e “eu vou sair primeiro”.

- Pegar cobrador e motorista é fetiche, eu sei, mas a probabilidade de pegar um lá é não é muito maior que nos outros pontos. O motivo é simples: a maioria está ali em horário de trabalho e logo, vão estar fazendo uma nova viagem. Se pegar um nesse intervalinho terá que ser mais rápido ainda. Torça para pegar em fim de escala!
- Beesha exxxperta já identifica as presas ainda no baculejo do ônibus. É a melhor maneira de pegar. Rola aquele flerte no 500, 800, 600 e alguma coisa e na hora de descer é ir para o banheiro. É só esperar o momento e se jogar no reservado.

- O mictório é o melhor lugar para ver se rola. Ponha o pau pra fora e de uma olhadinha beeeeem de ladinho no pau do lado. Se ele ficar muito tempo lá, desconfie, pois geralmente quando chega outra pessoa quem não curte se apressa em sair. Agora, se a neca tiver dura… faça ela amolecer já!
- Reconhecer bem o território é a maior arma que uma bee pode ter. Saber qual torneira funciona, qual reservado tem tranca e qual parede reflete quem entra e quem sai, é fundamental! A concorrência é grande e as que já sabem os truques arrasam!

- Leve tudo que a senhora ache que possa precisar. Sabonete, camisinhasssss, KY, álcool, papel higiênico, toalhinha, base, gloss e halls preta. Nada, mais nada disso você encontrará lá. Se a descarga estiver funcionando fique feliz.

- Nunca vá de chinelo. O chão dos banheiros dos terminais estão sempre molhados e empoçados. Sempre tem um vazamento de água. Reflexo do descaso do poder público para esses espaços de socialização! Calçado fechado é a melhor forma de evitar uma micose ou uma água de chuca no seu pé!

- Tem que ter coragem. Banheiro fede, a senhora limpa, joga sapolho, candida e cloro e não adianta. Agora imagina lá, onde não dá para limpar direito? Então, queridaaaa, respire fundo antes e segure o ar lá dentro. O melhor é ir de nariz entupido!

- A senhora já percebeu que não está rolando naquele dia, então não banque a masoquista. Vá para casa e deixe para outro oportunidade. Mas, se tiver tempo, pega o primeiro ônibus e se joga em outro terminal. Afinal, você já pagou R$ 1 mesmo.
*No capítulo do Código Penal que trata dos crimes de ultraje público ao pudor, o artigo 233 descreve que praticar ato obsceno em lugar público, ou aberto ou exposto ao público tem como pena prevista a detenção de três meses a um ano, ou multa.

2 comentários:

Anônimo disse...

visitem meu blog

http://banheirobrasileiro.blogspot.com/

sergio disse...

Transforme a sua Smart TV www.smarttvhd.com.br